26/10/2020 a 29/10/2020

PROGRAMAÇÃO

Segunda-feira (26/10/2020)

18:45 – 19:00 – Abertura do ENENF

19:00 – 20:30 – Palestra “Física Moderna e Contemporânea na Educação Básica: em que ponto estamos nessa caminhada?”

  • Profa. Dra. Nilva Lúcia Lombardi Sales (DME/UFSCar)

Terça-feira (27/10/2020)

18:00 – 19:40 – Oficina “Transmidialidade e gamificação na educação: novos paradigmas para a sala de aula” (Parte I)

19:40 – 20:00 – Intervalo

20:00 – 22:00 – Oficina “Transmidialidade e gamificação na educação: novos paradigmas para a sala de aula” (Parte II)

  • Dr. Paulo Roberto Montanaro – SEaD/UFSCar

Obs.: Além do encontro virtual, a oficina contará com atividades assíncronas realizadas ao longo da semana do evento.


Quarta-feira (28/10/2020)

19:00 – 20:30 – Mesa redonda “Educação Científica e política”

  • Prof. Dr. Alexandre Bagdonas Henrique (UFLA)
  • Prof. Dr. Guilherme da Silva Lima (UFOP)

Mediador: Vitor Brunelli Pereira (Diretório Acadêmico da Física / Curso de Licenciatura em Física/UFSCar)


Quinta-feira (29/10/2020)

19:00 – 20:30 – Palestra “Cultura didática, inovação e o ensino de Física”

  • Prof. Dr. Márlon Pessanha (DME/UFSCar)

Resumos das atividades:

  • Palestra 1 “Física Moderna e Contemporânea na Educação Básica: em que ponto estamos nessa caminhada?” (Profa. Dra. Nilva Lúcia Lombardi Sales): A atualização dos currículos de física da Educação Básica, em particular do Ensino Médio, com a inserção de temas de Física Moderna e Contemporânea, é algo discutido e desejado desde a virada deste século. No final dos anos 1990 e início dos anos 2000 muito se discutiu sobre as justificativas e possibilidades para termos temas mais atuais da física em sala de aula. Passados alguns anos já era esperado que tal atualização já estivesse em prática. Mas a pergunta que coloco para discutirmos nessa palestra é: em que ponto estamos nessa caminhada? Para isso pretendo trazer algumas informações sobre os diferentes aspectos desta questão, passando pelo contexto da pesquisa, da formação de professores, como também pelos documentos norteadores do Ensino de Física, tanto na Educação Básica como nas licenciaturas, e algumas políticas públicas associadas à essa questão.
  • Palestra 2 “Cultura didática, inovação e o ensino de Física” (Prof. Dr. Márlon Pessanha): Nas últimas décadas, muito tem se falado sobre a necessidade de inovação educacional e da prática do professor, mas pouco tem se discutido sobre o próprio conceito de inovação. A prática docente é regida por significados e ações que tendem a ser reproduzidas, constituindo uma cultura didática que permeia o ensino. Reconhecer a existência de uma cultura didática é um primeiro passo para compreender e melhor definir o que é uma inovação didática. Nesta palestra, além de apresentar tais conceitos, serão apresentadas propostas de ensino inovadoras voltadas para o ensino de Física, desenvolvidas em parceria com professores da rede pública.
  • Mesa redonda “Educação científica e política” (Prof. Dr. Alexandre Bagdonas Henrique): É reconhecido que o objetivo de promover a formação crítica e voltada para a cidadania tem encontrado desafios cada vez maiores. Os adeptos da educação CTSA tem defendido há décadas que devemos privilegiar nas escolhas curriculares temas com relevância social, intrinsecamente políticas, como habitação, alimentação, guerras, racismo, identidade nacional, visões de mundo, religião e espiritualidade. Este tipo de questões complexas envolvem tensões entre interesses e demonstram a urgência de que o ensino de ciências não se furte do engajamento em controvérsias e do posicionamento envolvendo dilemas éticos. Com base em estudos de história da física, apresentamos exemplos de casos que tem sido investigados para promover este tipo de discussão, envolvendo a Física e questões intrinsecamente políticas, como “A Física da Casa”, o Efeito Mpemba, armas nucleares e cosmologia e visões de mundo.
  • Mesa redonda “Educação científica e política” (Prof. Dr. Guilherme da Silva Lima): A divulgação científica é uma prática consolidada na sociedade contemporânea. Atualmente, é possível encontrar diversas práticas que, inclusive, incorporam as novas tecnologias da comunicação e informação. Vale ressaltar que a divulgação científica é uma atividade produzida em uma sociedade capitalista, que fez da divisão social do trabalho uma forma de potencializar a mais valia e as desigualdades sociais. Por isso, a própria divulgação científica carrega contradições e está orientada de acordo com interesses sociais. Nesse sentido, podemos compreender a divulgação científica por meio de suas orientações ideológicas. A abordagem apresentada problematiza a relação entre ideologia e divulgação científica e suas implicações para a educação científica e para política.
  • Oficina “Transmidialidade e gamificação na educação: novos paradigmas para a sala de aula” (Prof. Dr. Paulo Roberto Montanaro): Com novas percepções sobre a presencialidade, diálogo e participação, que ganham notoriedade com esta verdadeira revolução digital e de comportamento social pela qual passamos nos últimos anos, faz-se necessário buscar novas e criativas formas de se estruturar conteúdos e estratégias pedagógicas dentro e fora da sala de aula, seja ela qual for. Esta atividade tem por objetivo, portanto, propor algumas provocações acerca de conceitos como os processos de construção gamificada na educação; trilhas narrativas e ramificadas; desenho de mundo transversal; estratégias de construção e organização de conteúdos audiovisuais para diferentes espaços, linguagens e suportes; convergência midiática; elaboração de roteiros para mídias digitais interativas; e outras possibilidades de se explorar a gamificação e narrativas transmidiáticas no campo da educação.

Comissão Organizadora

Coordenação Geral: Márlon Pessanha
Comissão de finanças: Gabriel de Souza, Mateus Batista e Vítória Castro
Comissão de comunicação e divulgação: Gessio Mori Neto, Gustavo Soares, Luan Pinheiro e Mariana Vieira
Comissão de programação: Augusto Nascimento, Caio Zuanetti, Catarine Moreira, Julia Pinheiro, Larissa do Bem, Luan Pinheiro, Tamara Grigoletto e Vitor Brunelli Pereira

REALIZAÇÃO

Laboratório de Projetos e Artefatos Didáticos
Programa de Educação Tutorial – Licenciatura em Física

APOIO

Semana da Física da UFSCar
Departamento de Metodologia de Ensino – UFSCar
Pró-Reitoria de Extensão da UFSCar
Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)